terça-feira, 20 de maio de 2008

Oficial da Marinha do Brasil 'muda' de sexo e em nota Marinha fala em dignidade humana. Líder do movimento GBLT diz que nota da Marinha não basta

por Paulo Teixeira

Oficial da Marinha do Brasil 'muda' de sexo e em nota, Marinha fala em dignidade humana. Líder do movimento GBLT diz que nota da Marinha não basta. Para ele, Marinha tem que se enquadrar na política do governo federal - Brasil Sem Homofobia. IGREJA, olha o que nos espera, caso o PLC 122/2006 seja aprovado pelo Senado Federal !

Leia a matéria abaixo, extraída do Jornal Extra, de 20 de maio de 2008:


Líder GBLT diz que texto de nota não basta

Para Cláudio Nascimento superintendente de direitos individuais, coletivos e difusos do governo do Estado, adotar tom politicamente correto não basta. O líder do movimento GBLT (Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais) acredita que a Marinha precisa se enquadrar na política do governo federal, e respeitar o direito do indivíduo de trocar de sexo.

-Pelo programa Brasil sem Homofobia, o governo federal adotou uma posição concreta de promoção dos direitos da população GBLT. A Marinha tem de adequar à política do governo - defende Cláudio Nascimento.

COMENTÁRIO: Se o PLC 122/2006 for aprovado pelo senado Federal e convertido em Lei (da chamada Lei da Homofobia), todas as instituições brasileiras públicas e privadas, além dos grupos religiosos terão que se enquadrar no programa do governo federal "Brasil sem HOMOFOBIA".

Se o representante dos homossexuais está dizendo que a Marinha é obrigada a enquadra-se nos programa do governo, imagine quanta pressão não farão para que os grupos religiosos também não se enquadrem !

É preciso que a igreja do Senhor esteja ACORDADA. Vamos nos MOBILIZAR. Comente este assunto na igreja e levantemos um enorme exército de irmãos para nos opormos à aprovação do PLC 122/2006.

Como você pode manifestar-se contrário a este projeto de lei ? Lei o texto abaixo:

ATENÇÃO,

LIBERDADE DE CULTO NO BRASIL EM PERIGO

O que podemos fazer então para evitar isto ?

Telefone hoje ao Senado Federal dirigindo mensagem ao senador do seu estado para que assuma posição irrestrita a favor da família brasileira e contra a privilegiação da sodomia nas leis.

O telefone gratuito do Senado é 0800 61 22 11. (também pode ligar do celular).

A telefonista perguntará o seu CEP para fazer o seu cadastro. Depois disso, ela perguntará qual a sua mensagem. Pode ser algo como:

Peço a Vossa Excelência que vote NÃO ao PLC 122/2006, que pretende glorificar o homossexualismo e instaurar a perseguição religiosa no país.

A telefonista perguntará a quem você quer enviar a mensagem. Pode ser:

A todos os Senadores do meu Estado (que são três).

Pronto. A ligação é gratuita.

Portanto, vamos começar a mobilização.

MOBILIZEMO-NOS HOJE, PARA NÃO CHORARMOS AMANHÃ.

Mande urgentemente mensagens para outros irmãos (orkut, e-mail, telefone et cetera), mobilizando-os também.

Para entender o perigo do PLC 122, abra estes links:

-O perigo do PLC 122/2006

-Mais artigos sobre o PLC 122/2006

Fonte do texto a partir de 'telefone hoje para o Senado ...": www.juliosevero.com.br (com adaptações)

VEJA O QUE PODE ACONTECER EM TODO O BRASIL, CASO ESSE PROJETO DE LEI SEJA APROVADO:

"HOMOSSEXUAIS da Paraíba entraram na justiça contra entidade evangélica, devido OutDoor (foto abaixo), com versículo bíblico, e JUSTIÇA MANDOU RETIRÁ-LOS".


CONTATO COM OS SENADORES PELA INTERNET


Contatos com os senadores diretamente envolvidos no PL 122/06:

Fátima Cleide Rodrigues da Silva (PT-RO), relatora do projeto (favorável)
Tel.: (61) 3311-2391 a 2397
Fax: (61) 3311-1882
Correio eletrônico: fatima.cleide@senadora.gov.br

Paulo Renato Paim (PT-RS), apresentou diversos projetos neste sentido, condensados no PL 122/06 (favorável)
Tel.: (61) 3311-5227/5232
Fax: (61) 3311-5235
Correio eletrônico: paulopaim@senador.gov.br

Marcelo Bezerra Crivella (PRB-RJ) – (contrário à redação como está)
Tel.: (61) 3311-5225/5730
Fax: (61) 3311-2211
Correio eletrônico: crivella@senador.gov.br

Para encontrar os nomes, endereços e telefones de cada senador e a íntegra do projeto de lei acesse: http://www.senado.gov.br ou ligue gratuitamente de qualquer lugar do país no Alô Senado 0800 61 22 11.

Contatos com os deputados diretamente envolvidos no PL 6418/2005:

Janete Rocha Pietá (PT-SP), relatora do projeto (favorável)
Telefone:(61) 3215-5578
Fax: (61) 3215-2578
Correio eletrônico: dep.janeterochapieta@camara.gov.br

Pastor Manoel Ferreira (PTB-RJ) (contrário à redação como está)
Telefone:(61) 3215-5226
Fax:(61) 3215-2226
Correio eletrônico: dep.pastormanoelferreira@camara.gov.br

Para encontrar os nomes, endereços e telefones de cada deputado e a íntegra do projeto de lei acesse: http://www.camara.gov.br.

Confira a lista de senadores que integram a CDH

Peça para todos os senadores, em especial os que integram a Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa, principalmente os do seu Estado, a votarem CONTRA o PLC 122/2006.
Alô Senado: 0800 61 22 11 (ligação gratuita)


Também envie e-mails

RELAÇÃO DOS SENADORES QUE INTEGRAM A COMISSÃO DE DIREITOS HUMANOS E LEGISLAÇÃO PARTICIPATIVA:

1) PRESIDENTE: Senador Paulo Paim - RS: paulopaim@senador.gov.br
Tel.: (61) 3311-5227/5232
Fax: (61) 3311-5235

2) VICE-PRESIDENTE: Senador Cícero Lucena - PB: cicero.lucena@senador.gov.br
Tel.: (61) 3311.5800 5808
Fax: 61) 3311.5809

3) FÁTIMA CLEIDE - RO: fatima.cleide@senadora.gov.br
Tel.: (61) 3311-2391 a 2397 Fax: (61) 3311-1882

4) PATRÍCIA SABOYA GOMES - CE: patricia@senadora.gov.br
Tel.: (61) 3311-2301/2302
Fax: (61) 3311-2865

5) INÁCIO ARRUDA - CE: inacioarruda@senador.gov.br
Tel.: (61)3311-5791 / (61)3311-5793 Fax: (61)3311-5798 Inácio Arruda

6) LEOMAR QUINTANILHA - TO: leomar@senador.gov.br
Tel.: (61) 3311-2073 a 2078 Fax: (61) 3311-1773

7) GERALDO MESQUITA JÚNIOR - AC: geraldo.mesquita@senador.gov.br
Tel.: (61) 3311-1078/1278/1279 Fax: (61) 3311-3029

7) PAULO DUQUE - RJ: paulo.duque@senador.gov.br
Tel.: 61-3311.2431 a 2437 Fax: 61-3311.2736

9) WELLINGTON SALGADO DE OLIVEIRA - MG: wellington.salgado@senador.gov.br
Tel.: (61) 3311-2244/2245 Fax: (61) 3311-1830

10) GILVAM BORGES - AP: gilvamborges@senador.gov.br
Tel.: (61) 3311-1717 1719 1720 Fax: (61) 3311-1723

11) CÉSAR BORGES - BA : cesarborges@senador.gov.br
Tel.: (61) 3311-2212 a 2217
Fax: (61) 3311-2982

12) ELISEU RESENDE - MG: eliseuresende@senador.gov.br
Tel.: (61) 3311.4621 / 4791
Fax: (61) 3311.2746

13) ROMEU TUMA - SP: romeu.tuma@senador.gov.br
Tel.: (61) 3311-2051/2057 Fax: (61) 3311-2743

14) JONAS PINHEIRO - MT: jonaspinheiro@senador.gov.br
Tel.: (61) 3311-2271/2272 Fax: (61) 3311-1647

15) ARTHUR VIRGILIO - AM: arthur.virgilio@senador.gov.br
Tel.: (61) 3311-1413/1301 Fax: (61) 3311-1659

16) CRISTOVAM BUARQUE - DF: cristovam@senador.gov.br
Tel.: (61) 3311-2281 Fax: (61) 3311-2874

17) JOSÉ NERY - PA : josenery@senador.gov.br
Tel.: (61) 3311-2104 Fax: (61) 3311-1635

17) SERYS SLHESSARENKO - MT: serys@senadora.gov.br
Tel.: (61) 3311-2291/2292
Fax: (61) 3311-2721

19) EDUARDO SUPLICY - SP: eduardo.suplicy@senador
Tel: (61) 3311-3213/2817/2818
Fax: (61) 3311-2816

20) SÉRGIO ZAMBIASI - RS: sergio.zambiasi@senador.gov.br
Tel.: (61) 3311-1207/1607
Fax: (61) 3311-2944

21) SIBÁ MACHADO - AC: siba@senador.gov.br
Tel.: (61) 3311-2184 a 2189
Fax: (61) 3311-2859

22) IDELI SALVATTI - SC: ideli.salvatti@senadora.gov.br
Tel.: (61) 3311-2171/2172
Fax: (61) 3311-2880

23) MÃO SANTA - PI: maosanta@senador.gov.br
Tel.: (61) 3311-2333/2335
Fax: (61) 3311-5207

24) ROMERO JUCÁ - RR: romero.juca@senador.gov.br
Tel.: 311-2111 a 2117
Fax: (61) 311-1653

25) VALTER PEREIRA - MS: valterpereira@senador.gov.br
Tel.: (61) 3311-2222/2224
Fax: (61) 3311-1750

26) JARBAS VASCONCELOS - PE: jarbas.vasconcelos@senador.gov.br
Tel.: (61) 3311-3245
Fax: (61) 3311- 1977

27) EDISON LOBÃO - MA: edison.lobao@senador.gov.br
Tel.: (61) 3311-2311 a 2313
Fax: (61) 3311-2755

27) HERÁCLITO FORTES - PI: heraclito.fortes@senador.gov.br
Tel.: (61) 3311-2131 a 2134
Fax: (61) 3311-2975

29) JAYME CAMPOS - MT: jayme.campos@senador.gov.br
Tel.: (61) 3311.4061 / (61) 3311.1048
Fax: (61) 3311.2973

30) MARIA DO CARMO ALVES - SE : maria.carmo@senadora.gov.br
Tel.: (61) 3311-1306/4055
Fax: (61) 3311-2878

31) MÁRIO COUTO - PA: mario.couto@senador.gov.br
Tel.: (61) 3311-3050
Fax: (61) 3311-2958

32)LÚCIA VÂNIA - GO: lucia.vania@senadora.gov.br
Tel.: (61) 3311-2035/2844
Fax: (61) 3311-2868

33) PAPALÉO PAES - AP: papaleo@senador.gov.br
Tel.: (61) 3311-3253/3258/3262/3277
Fax: (61) 3311-3293

34) FLÁVIO ARNS - PR: flavioarns@senador.gov.br
Tel.: (61) 3311-2402 a 2405 Fax: (61) 3311-1935

35) Magno Malta - ES :magnomalta@senador.gov
Tel.: (61) 3311-4161/5867
Fax: (61) 3311-1656

36) Marcelo Crivella - RJ: crivella@senador.gov.br
Tel.: (61) 3311-5225/5730
Fax: (61) 3311-2211

..........................................................


Matéria do Jornal Extra, de 20 de maio de 2008:

Marinha pede dignidade para oficial que assumiu ser gay

RIO - O capitão-de-corveta X., de 36 anos, não deve ganhar uma medalha pelo último ato de bravura que teve nas Forças Armadas. Entretanto, embora em março, numa atitude de extrema coragem, tenha comunicado a seus superiores que pretende fazer uma operação para mudar de sexo, seu caso recebeu um tratamento respeitoso por parte da instituição. No passado, o oficial poderia ser preso. Postura bem diferente da que a Marinha decidiu adotar agora. Num tom politicamente correto, a Força divulgou uma nota, na qual fala em garantir "a dignidade se a privacidade do indivíduo, plenamente assegurados pela Constituição".

"A Marinha do Brasil aguardará a conclusão dos estudos dos aspectos médicos, jurídicos e militares, ora em andamento, para a adoção de medidas administrativas cabíveis, mantendo sempre como orientação o máximo de atenção à dignidade humana e à preservação do sigilo médico", informa a nota.

Surpreendidos ao saber que existe uma alma feminina dentro do Corpo da Armada da Marinha, cujo quadro de oficiais só permite a entrada de homens, os comandantes colocaram o militar de licença médica, para tratamento de saúde. Segundo X., que pediu para ser tratado pelo gênero feminino, a corporação se baseou no Código Internacional de Doenças (CID).

- Entendo que era a única forma de a Marinha conseguir me colocar de licença por tanto tempo, até resolver a situação. Eles foram muito corretos. Apesar disso, tenho consciência de que não tenho uma doença - disse X.

Para um influente capitão-de-mar-e-guerra (o último posto da carreira sem indicações políticas) da reserva remunerada, a revelação feita por X., no passado, teria lhe rendido uma indesejável prisão. Na reserva remunerada desde 1997, ele avalia que os tempos, hoje, são outros.

- Infelizmente, as Forças Armadas ainda não estão preparadas para lidar com casos como o deste militar. Mas fico satisfeito em saber que a Marinha está tentando entender a pessoa.

Enquanto não se chega a uma solução para o caso, o silêncio impera - inclusive entre alunos - na Escola Naval, onde X. ocupava um cargo de chefia no batalhão escolar. Na última sexta-feira, alguns aspirantes a oficiais mostraram receio de receber represálias caso falassem do assunto.

- Só se vestir de mulher já é um ato de coragem - diz a cabeleireira Ruddy Pinho, que mudou de sexo em 1987.

HOMOSSEXUALISMO: criação de zona dentro do Parque Ibirapuera destinada à prática do sexo público homossexual ? Acorda Sociedade !

Zoológico para gays

Gerson Faria

Resumo: Sexo homossexual em público no Parque do Ibirapuera. O novo item da agenda gay, cujos militantes — assim como todos os militantes que pululam pelo Brasil afora — querem estar fora do Estado e ao mesmo tempo protegidos por ele.

A Folha de S.Paulo deste sábado, 17 de maio, traz uma matéria no caderno “Cotidiano” descrevendo a proposta “polêmica” do candidato ao conselho gestor do Parque Ibirapuera, um militante do movimento gay. Consta da criação de zonas liberadas dentro do parque destinadas à prática do sexo público homossexual. Afirma o candidato que é uma proposta ousada e turisticamente atraente, coisa européia mesmo, moderna. Afirma que tais atos não são novidade no parque, declarando não haver nada demais. Sua plataforma de candidato enseja oficializar tal prática.

A despeito da jequice do argumento de ser a Europa modelo de conduta, tal prática já é crime. Crime tipificado de atentado ao pudor. Se a polícia não age — e já ouvi muitos testemunhos disso — é outro problema. É problema originado pela pressão que o movimento gay exerce sobre a sociedade, quando exige que sua classe seja tratada diferentemente do resto dela, em que o sexo e sua expressão não são utilizados como fator político de luta de classes.

E se sexo em local público é crime, a proposta do militante, se aceita e aplicada, também é. E mais: crime de atentado ao pudor com o agravante da privatização de espaços públicos por opção sexual.

A matéria chama de “curioso” o fato de a proposta ser exclusiva a gays. Ora, não há nada de curioso nela. Os heterossexuais não são conhecidos por condutas sexuais “ousadas” e públicas como os gays. Querer forçar a natureza da questão, achando que se os gays podem os heterossexuais também podem, é oferecer falsamente um direito aos heterossexuais que eles não estão reivindicando, para tão somente beneficiar os militantes gays, com um falso argumento em justiça da universalidade.

Ora, já ouvi vários testemunhos do descaso com que aquele parque trata o usuário normal, que o freqüenta para trabalho ou lazer. Amigos que lá trabalham me contam que é comum o assédio que sofrem por indivíduos pervertidos que já vêem naquele local um território “livre”.

Dentro do parque há empresas (museus, lanchonetes, órgãos públicos, etc.) e alguns inúteis postos policiais. Em um dos testemunhos que obtive, a polícia se recusou a atender a um pedido para que acompanhasse a pessoa até uma das saídas do parque, pois estava saindo do trabalho à noite. A resposta do policial foi — acredite ou não — a de que ele estava assistindo à novela, não podendo assim atender ao pedido. Isso talvez deva-se a algum programa de sensibilização da polícia paulistana, coordenado por uma ONG qualquer.

Não bastasse o parque ser utilizado para esses fins, já é de conhecimento público a existência do local anexo ao parque, chamado de ‘autorama’, um espaço público que foi tomado pelos gays e por eles rebatizado e dado novo uso, o de “caçação”, como dizem. A imprensa vez ou outra traz notícias de casos de tráfico de drogas e pedofilia lá ocorridos.

São posições de difícil sustentação pública. Ora dizem que são pessoas mais que normais, ora dizem que querem fazer sexo no parque às vistas de qualquer um. Ora dizem que ser homossexual é uma escolha pessoal, ora dizem que é determinismo genético. Para sustentar tantas contradições por tanto tempo, o movimento gay possui uma rede de apoios políticos muito bem organizada, autochantageada e financiada, na mídia e nos órgãos do governo de forma geral, nos de cultura em particular. Nos museus, ministérios, secretarias, sem preconceitos. De faxineiros a diretores.

Imaginem que situação bizarra. Excursões de escolas visitando exposições na Oca, no Museu Afro, no MAM, como de costume, em meio aos marmanjos se entregando publicamente. Ora, seguindo a cartilha burocrática brasileira, haveria funcionários para fiscalizar horários de funcionamento do zoológico gay. Funcionários gays, é claro. Mas, como costuma afirmar o secretário Marrey sobre tais matérias, ele que não é um idiota qualquer, temos de deixar de lado as posições conservadoras, adotando posições mais de acordo com a cultura vigente. Cultura vai, cultura vem, haverá o dia em que fumar no Parque Ibirapuera será considerado crime hediondo.

O que esse militante anseia ardentemente não é diferente de tantos outros militantes deste Brasil, em que se plantando tudo dá. Gays, MST, indigenistas, pedófilos, etc., querem que as leis não sirvam para eles, mas sim, servirem-se delas. Querem estar fora do Estado e ao mesmo tempo protegidos por ele. Querem um Estado para eles. Se defendem o sexo público ou o direito inalienável de chupar picolé estando gripado no mais das vezes, não vem ao caso. Os ganhos políticos, ah, esses sim.

Se todas as questões de ordem pública não fossem mais do que meras oficializações de práticas, o Estado não teria mais razão de ser, exceto no Brasil, em que este se torna cada vez mais meio de vida de alguns, a despeito das necessidades básicas daqueles que o mantêm, sem ao certo saber o porquê.

Fonte: Mídia Sem Máscara

Fonte e Divulgação: www.juliosevero.com

segunda-feira, 19 de maio de 2008

Policial gay acusado de abusar sexualmente de menino

Promotor público alega que ‘policial usou vários métodos para evitar ser descoberto’

Autoridades de Nova Iorque iniciaram medidas judiciais contra agente policial que no passado dirigia uma organização policial gay, alegando que ele espreitava o filho adotivo de um parente e forçou o menino a ter sexo com ele.

Jaime Katz, policial veterano agora designado para a Academia de Polícia, “desenvolveu um relacionamento… e com o tempo preparou o menino para sexo e atos relacionados com sexo”, disse o promotor público John Temple, de acordo com o jornal

Katz, preso sob uma fiança de 500.000 dólares, declarou-se inocente.

Mas Temple disse que a vítima era órfã e os parentes de Katz adotaram esse menino e um irmão mais velho. Os promotores públicos alegam que o abuso começou quando o menino tinha 11 anos e continuou até a idade dos 13.

Temple alegou que Katz pagava as contas da família adotiva da vítima e saía de férias com eles, declararam os jornais.

Para evitar ser descoberto, o policial usava “vários métodos”, inclusive o uso de múltiplos celulares, conforme acusação dos promotores nos jornais.

As acusações contra Katz, 37, incluem ato sexual e colocar em perigo o bem-estar de uma criança, declarou o relatório.

Katz no passado era diretor da “Liga de Ação de Policiais Gays” e dirigia a organização em paradas do orgulho gay.

“Sou gay, muito gay”, Katz disse depois de uma parada de 2002 ao jornal.

Traduzido e adaptado por Julio Severo: www.juliosevero.com

Fonte: WND


Fonte: www.juliosevero.com.br

PARADA GAY de SÃO PAULO: Mais de R$ 1 milhão dos COFRES PÚBLICOS patrocinam o evento

Ministério do Turismo e Prefeitura incrementam verbas para garantir evento.



Mais uma vez a Parada Gay de São Paulo, a ser realizada no dia 25, conta com patrocínios majoritariamente dos cofres públicos. Apesar de negociações com uma fabricante de refrigerante, uma empresa de crédito e uma companhia aérea, o reforço financeiro vem do incremento em 20% da cota do Ministério do Turismo e em 30% do investimento em infra-estrutura de responsabilidade da Prefeitura. Neste ano, o governo federal reserva R$ 300 mil, ante R$ 250 mil de 2007, e a Prefeitura desembolsa R$ 450 mil, ante R$ 350 mil da edição passada.

O evento vai ter orçamento em torno de R$ 1,070 milhão, já acrescentados os investimentos da Caixa Econômica Federal (R$ 120 mil) e Petrobrás (R$ 200 mil). As empresas públicas reservam os mesmos valores dos recursos destinados à Parada de 2007, quando juntas às esferas de poder municipal e federal aplicaram R$ 920 mil. Por meio da captação da Fun Prime - empresa de organização de eventos -, a Parada recebe também apoio de um fabricante de calçados, uma empresa de cruzeiros e da Federação do Comércio do Estado de São Paulo.

O diretor da Fun Prime, André Guimarães, argumenta que a captação tardia de recursos impossibilitou o fechamento de contratos com grandes empresas privadas. “Infelizmente, o trabalho começou depois do carnaval e deveria ter ocorrido logo após a Parada”, explica. Ele diz que parcerias deixaram de ser firmadas porque as empresas já estão com verbas comprometidas. Segundo Guimarães, estão confirmadas presenças de executivos de multinacionais para observar a Parada e estreitar relacionamentos.

Apesar do atraso na captação, o vice-presidente da Associação da Parada do Orgulho GLBT (Gays, Lésbicas, Bissexuais, Transexuais e Travestis), Murilo Sarno, diz que há resistência de “algumas empresas” em associar marcas ao segmento. “Essa é uma mentalidade brasileira, que vai mudar gradativamente. Na Europa, várias companhias privadas entendem como positivo o trabalho com o público gay.”

Atenta ao mercado, a Caixa participa da Parada pela segunda vez. “A Caixa vai ter estandes para vender produtos e vai apresentar a marca nos trios”, explica o coordenador de Marketing, Augusto Ermétio Dias Júnior. E são os negócios também que justificam os recursos federais. “A Parada é um evento que gera alta taxa de ocupação hoteleira e tem visibilidade internacional. É um investimento grande e importante”, diz o secretário nacional de Políticas de Turismo, Airton Pereira.

Para os visitantes voltarem, o chefe da Coordenadoria dos Assuntos da Diversidade Sexual (Cads), Cássio Rodrigo, diz que a Prefeitura vai garantir toda a infra-estrutura: três hospitais de campanha, bolsões de segurança, telecentro para registro de BOs, gradeamento. “Queremos que o público se sinta seguro e volte, para, assim, consolidarmos a Parada como a maior manifestação GLBT do mundo.”

Fonte: O Estado de São Paulo e O Verbo

Justiça baiana manda recolher livro que critica o espiritismo

Justiça baiana manda recolher livro que critica o espiritismo

A Justiça da Bahia determinou o recolhimento, em Salvador, de todos os exemplares de um livro escrito pelo padre Jonas Abib, fundador da comunidade católica Canção Nova, ligada à Renovação Carismática, sob a acusação de “ofensa contra as formas de espiritismo”.
Publicidade

(Fonte: Portas Abertas) - Para o Ministério Público baiano, que pediu o recolhimento do livro "Sim, Sim! Não, Não! Reflexões de Cura e Libertação", da editora Canção Nova, o padre cometeu o crime de "prática e incitação de discriminação ou preconceito religioso", previsto na lei 7.716, de 1989. Cabe recurso à Justiça.

De acordo com o promotor Almiro Sena, Abib faz no livro "afirmações inverídicas e preconceituosas à religião espírita e às religiões de matriz africana, como a umbanda e o candomblé, além de flagrante incitação à destruição e ao desrespeito aos seus objetos de culto".

A ação cita trechos do livro que, na avaliação da Promotoria, trazem ofensas ao espiritismo e às religiões afro-americanas. "O demônio, dizem muitos, "não é nada criativo". (...) Ele, que no passado se escondia por trás dos ídolos, hoje se esconde nos rituais e nas práticas do espiritismo, da umbanda, do candomblé", diz Abib na obra.

A editora Canção Nova informou que não foi comunicada da decisão judicial e negou que o livro incorra em preconceito religioso.

Nota da Portas Abertas: O caso em questão abre um precedente perigoso no que se refere à liberdade de expressão e pode atingir diversas outras publicações cristãs que tratam das religiões afro-brasileiras. Infelizmente assitimos hoje no Brasil ações que visam calar os cristãos de propagarem a sua visão.

quinta-feira, 15 de maio de 2008

Ronaldo e o escândalo da “homofobia”

Um fato que salta do escândalo protagonizado por Ronaldo “Fenômeno” é uma espécie de homofobia da maioria da população. É importante ressaltar isso no momento em que se tenta aprovar uma lei à força do rolo compressor gayzista na imprensa, no governo federal e outras instâncias sociais animadas por ondas hodiernas, como “defesa de minorias”, “direitos humanos” e assim por diante. Se a lei estivesse vigorando muitos artigos seriam desprezados, já que a reação dos fãs, da namorada do jogador e da sociedade em geral seria interpretada como homofóbica. Por quê? Por que de acordo com a lei e o ideário gay transar com homossexuais não é nada de mais. É só “mais uma forma de amar”. É apenas uma “expressão diferente de amor”.

A repercussão do episódio “Ronaldo homem” versus três homens efeminados, passivos sexualmente, aponta numa direção desfavorável aos apologistas da homossexualidade, especialmente a masculina. Por que é um escândalo? Qual é o motor do escândalo? Por que Ronaldo é rico e pode ter a borboleta que quiser (como as famosas Cicarelli, Raica, Verner, Milene) e surge a suspeita de que seja passivo? É por que trata-se de um infeliz que pode ter tudo e foi mendigar o dito sexo sujo num motel de segunda categoria? Ou é simplesmente porque a “sociedade homofóbica” reprova a relação homem x homem?

Há tantas outras questões... São perguntas que precisam ser respondidas. Mas ao invés da incômoda resposta dissimula-se escândalo. Manchetes falaram de “travestis”. Travesti é o homem que se veste ou traveste de mulher ou, conforme o Michaelis: “Disfarce sob o traje de outro sexo”. Por que não homossexuais? Será que sair com travestis é “menos pior” que com homossexuais para a imprensa pró-gays?

Outro ponto negativo ao gayzismo é própria confissão de Ronaldo de que cometera “uma grande besteira”. Que besteira? Desde quando na sociedade “moderna” e “avançada” é errado procurar homens para receber amor ou ter prazer às avessas? Hummm... Qual o problema em se relacionar com uns homens? Tachar essa história de negativa não seria um ato homofóbico? E por que os militantes gays não processam Ronaldo e tantos quantos mais interpretam o caso com certo asco? Renegar o amor de três gays não é discriminação?

E tem mais: Se sexo homossexual é algo tranqüilo há milênios por que Ronaldo pode perder contratos com a Tim e outras marcas? Por que o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), veio a público manifestar que ele não é seu embaixador? Por que é ridículo assistir Ronaldo orientado por assessores tentando consertar a “grande besteira” no Fantástico?

Vamos à Palavra de Deus. Enquanto podemos citá-la. Ela é o Manual para a vida feliz à disposição de Ronaldo e tantos quantos queiram um mapa à felicidade real neste mundo decadente. Argumentos psicológicos ajudam, mas somente a Verdade divina liberta o ser humano de manias que o levam a cometer “grandes besteiras”. Falta o verdadeiro Amor no coração. Falta o Deus que é O AMOR, não um amor erótico que confunde prazer com amor.

A verdade incômoda é o que Paulo expressou em sua Carta aos Romanos. Com lei da homofobia ou não. Com a mudança nos costumes ou não o Preceito Santo permanecerá como testemunha da decadência de seres humanos que preferiram agradar-se a si mesmos e não a Deus. Verdade incômoda por prever as conseqüências aos que quebram os princípios morais estabelecidos numa época em que falar em regras morais pode virar crime:

Romanos 1:18-32 Do céu Deus revela a sua ira contra todos os pecados e todas as maldades das pessoas que, por meio das suas más ações, não deixam que os outros conheçam a verdade a respeito de Deus.
19 Deus castiga essas pessoas porque o que se pode conhecer a respeito de Deus está bem claro para elas, pois foi o próprio Deus que lhes mostrou isso.
20 Desde que Deus criou o mundo, as suas qualidades invisíveis, isto é, o seu poder eterno e a sua natureza divina, têm sido vistas claramente. Os seres humanos podem ver tudo isso nas coisas que Deus tem feito e, portanto, eles não têm desculpa nenhuma.
21 Eles sabem quem Deus é, mas não lhe dão a glória que ele merece e não lhe são agradecidos. Pelo contrário, os seus pensamentos se tornaram tolos, e a sua mente vazia está coberta de escuridão.
22 Eles dizem que são sábios, mas são tolos.
23 Em vez de adorarem ao Deus imortal, adoram ídolos que se parecem com seres humanos, ou com pássaros, ou com animais de quatro patas, ou com animais que se arrastam pelo chão.
24 Por isso Deus entregou os seres humanos aos desejos do coração deles para fazerem coisas sujas e para terem relações vergonhosas uns com os outros.
25 Eles trocam a verdade sobre Deus pela mentira e adoram e servem as coisas que Deus criou, em vez de adorarem e servirem o próprio Criador, que deve ser louvado para sempre. Amém!
26 Por causa das coisas que essas pessoas fazem, Deus as entregou a paixões vergonhosas. Pois até as mulheres trocam as relações naturais pelas que são contra a natureza.
27 E também os homens deixam as relações naturais com as mulheres e se queimam de paixão uns pelos outros. Homens têm relações vergonhosas uns com os outros e por isso recebem em si mesmos o castigo que merecem por causa dos seus erros.
28 E, como não querem saber do verdadeiro conhecimento a respeito de Deus, ele entregou os seres humanos aos seus maus pensamentos, de modo que eles fazem o que não devem.
29 Estão cheios de todo tipo de perversidade, maldade, ganância, vícios, ciúmes, crimes de morte, brigas, mentiras e malícia. Caluniam
30 e falam mal uns dos outros. Têm ódio de Deus e são atrevidos, orgulhosos e vaidosos. Inventam maneiras de fazer o mal, desobedecem aos pais,
31 são imorais, não cumprem a palavra, não têm amor por ninguém e não têm pena dos outros.
32 Eles sabem que o mandamento de Deus diz que aqueles que fazem essas coisas merecem a morte. Mas mesmo assim continuam a fazê-las e, pior ainda, aprovam os que fazem as mesmas coisas que eles fazem. (Bíblia na Linguagem de Hoje)

José San Martín
Consagro a Deus o que escrevi'

Fonte: http://caosperanca.blogspot.com


Em carta inédita, Albert Einstein ataca Deus


Uma carta inédita de Albert Einstein datada de 1954, ano anterior ao de sua morte, traz pela primeira vez críticas contundentes do físico à religião. No manuscrito dirigido a seu amigo filósofo Eric Gutkind, que será leiloada hoje em Londres, o autor das teorias da relatividade retrata as práticas religiosas como "infantis".

"A palavra Deus é para mim nada mais do que expressão e produto da fraqueza humana", escreveu Einstein, para quem a Bíblia seria "uma coleção de lendas honráveis, ainda que primitivas".

O conteúdo da carta difere de declarações anteriores de Einstein, que, segundo historiadores, nunca havia deixado muito clara a sua visão sobre a religião. Nessa seara, o físico era mais lembrado pela frase "A ciência sem religião é manca, a religião sem a ciência é cega".

Na carta a Gutkind, porém, Einstein classifica a crença em Deus como "produto da fraqueza humana", e não poupa nem a religião do povo ao qual pertencia. "A religião judaica, como todas as outras religiões, é uma encarnação das superstições mais infantis." Einstein, um sionista que teve papel importante na criação do Estado de Israel, diz a Gutkind que não acredita que os judeus sejam um povo "escolhido".

A carta traz um certo tom de descrença na humanidade e a noção de que o poder corrompe as pessoas. Os judeus, diz, só estariam "protegidos dos piores cânceres por lhes faltar poder".

A casa de leilões Bloomsbury, onde o manuscrito original será vendido, diz estar "100% certa" da autenticidade do documento e que espera conseguir por ele um preço entre US$ 12 mil e US$ 16 mil. O vendedor é um colecionador particular.

Historiadores não costumam retratar Einstein como ateu, mas a imagem pode mudar com a publicação da carta. Sua visão sobre Deus era tida apenas como não-clerical ("Não creio no Deus da teologia que recompensa o bem e pune o mal").

Fonte: FolhaOnLine

Negros evangélicos querem ouvir pedido de perdão das igrejas históricas


Ao completar, hoje, 120 anos da abolição da escravatura no Brasil, organizações do movimento negro afirmam, em documento encaminhado às igrejas históricas, que esse é um processo inacabado. As igrejas, diz o manifesto, devem pedir perdão ao povo negro por sua participação e cumplicidade na escravidão e silêncio diante do racismo.

“A população negra está na margem da riqueza produzida pela sociedade brasileira, situação reforçada pelas igrejas na cumplicidade e omissão perante a escravidão e anos de racismo no Brasil”, destaca o texto. Vai chegar o momento em que as igrejas históricas vão ter que, necessariamente, tratar desse tema. “É um processo, e o movimento negro vai exigir um pedido de desculpas”, disse à ALC o presidente da Sociedade Cultural Missões Quilombo, Hernani Francisco da Silva.

O pedido de perdão deve vir acompanhado de ações afirmativas e reparações. No campo teológico, as organizações que assinam o documento propõem uma hermenêutica bíblica negra a partir da realidade do povo negro “e não como foi construída historicamente a partir de uma ideologia branca e masculina, que considera como único ponto de partida para a celebração os pressupostos ocidentais”, ignorando as expressões corporais, a mística e as tradições dos que vieram da África.

Para a superação do racismo o movimento negro propõe um programa de ação das igrejas na promoção do diálogo inter-religioso, e o acesso dos afro-descendentes nos seminários e cursos teológicos, a criação e fortalecimento das pastorais e dos ministérios de combate ao racismo. Pede, ainda, uma maior participação de afro-descendentes nos cargos diretivos das igrejas, ampliando o número de pastores, pastoras, bispos e bispas.

Não é a primeira vez que organizações do movimento negro vêm a público com a proposta de pedido de perdão dirigida às igrejas. Em 2006, a presidência da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB) respondeu ao presidente da Sociedade Cultural Missões Quilombo, Hernani Francisco da Silva, que estaria disposta a avaliar, em conjunto com igrejas-irmãs, a possibilidade de uma declaração conjunta com pedido de perdão ao povo negro.

Na mesma resposta, o pastor presidente Walter Altmann informou que a IECLB já se pronunciara sobre o assunto, através de dois textos: “Deus não é racista” e a declaração da IECLB alusiva aos 180 anos de suas primeiras comunidades.

O documento das organizações negras deste ano foi enviado para as igrejas Anglicana, Presbiteriana do Brasil, Presbiteriana Unida, Presbiteriana Independente, Luterana, Evangélica de Confissão Luterana, Metodista e Batista. Assinam o documento oito organizações negras, entre elas as Alianças de Negros e Negras Evangélicas do Brasil e o Fórum de Lideranças Negras Evangélicas.

Também receberam o documento o Conselho Mundial de Igrejas (CMI), o Conselho Latino-Americano de Igrejas (CLAI) e o Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil (CONIC).

Fonte: ALC

quarta-feira, 14 de maio de 2008

Vaticano admite que pode haver vida fora da Terra

Diretor de observatório da Santa Sé diz que não se pode limitar ação criadora de Deus

O diretor do observatório astronômico do Vaticano, padre José Gabriel Funes, afirmou que Deus pode ter criado seres inteligentes em outros planetas do mesmo jeito como criou o universo e os homens.


"Como existem diversas criaturas na Terra, poderiam existir também outros seres inteligentes, criados por Deus", disse o diretor do observatório conhecido como Specola Vaticana.


"Isso não contradiz nossa fé porque não podemos colocar limites à liberdade criadora de Deus", acrescentou Funes, em entrevista ao jornal L'Osservatore Romano, órgão oficial de imprensa da Santa Sé.


Na entrevista ao jornal do papa, o padre Funes, jesuíta argentino de 45 anos de idade, cita São Francisco ao dizer que possíveis habitantes de outros planetas devem ser considerados como nossos irmãos.


"Para citar São Francisco, se consideramos as criaturas terrestres como 'irmão' e 'irmã', por que não poderemos falar tambem de um 'irmão extraterrestre'?", pergunta o padre. "Ele tambem faria parte da criação."


Perspectiva

Na opinião do astrônomo do Vaticano, podem haver seres semelhantes a nós ou até mais evoluídos em outros planetas, ainda que não haja provas da existência deles.


"É possível que existam. O universo é formado por 100 bilhões de galáxias, cada uma composta de 100 bilhões de estrelas, muitas delas ou quase todas poderiam ter planetas", afirmou Funes.


"Como podemos excluir que a vida tenha se desenvolvido também em outro lugar?", acrescentou. "Há um ramo da astronomia, a astrobiologia, que estuda justamente este aspecto e fez muitos progressos nos últimos anos."


Segundo o cientista, estudar o universo não afasta, mas aproxima de Deus porque abre o coração e a mente e ajuda a colocar a vida das pessoas na "perspectiva certa".


Padre Funes diz ainda que teorias como a do Big Bang e a do evolucionismo de Darwin, que explicam o nascimento do universo e da vida na Terra sem fazer relação com a existência de Deus, não se chocam com a visão da Igreja.


"Como astrônomo, eu continuo a acreditar que Deus seja o criador do universo e que nós não somos o produto do acaso, mas filhos de um pai bom", afirma.


"Observando as estrelas, emerge claramente um processo evolutivo, e este é um dado cientifico, mas não vejo nisso uma contradição com a fé em Deus."


Ateísmo

Na visão do religioso, estudar astronomia não leva necessariamente ao ateísmo.


"É uma lenda achar que a astronomia favoreça uma visão atéia do mundo", disse o padre. "Nosso trabalho demonstra que é possível fazer ciência seriamente e acreditar em Deus. A Igreja deixou sua marca na história da astronomia."


Diretor da Specola Vaticana desde 2006, padre Funes lembrou na entrevista que astrônomos do Vaticano fizeram importantes descobertas como o "raio verde", o rebaixamento de Plutão e trabalhos em parceria com a Nasa, por meio do centro astronômico do Vaticano em Tucson, nos Estados Unidos.


A sede do observatório do Vaticano se localiza em Castelgandolfo, cidade próxima de Roma, onde fica situado o palácio de verão do papa, desde 1935.


O interesse dos pontífices pela astronomia surgiu com o papa Gregório 13, que promoveu a reforma do calendário em 1582, dividindo o ano em 365 dias e 12 meses e introduzindo os anos bissextos.


Fonte: G1

segunda-feira, 12 de maio de 2008

MARCHA PARA JESUS e PARADA GAY em São Paulo: desfilando para o inferno, "evangélicos" participarão dos dois eventos

por Paulo Teixeira

A Bíblia condena a prática homossexual.

Em Levítico 18:22 e Levítico 20:13a dizem o seguinte, respectivamente: “Com homem não te deitarás como se fosse mulher; é abominação” e “Se também um homem se deitar com outro homem, como se fosse mulher, ambos praticaram coisa abominável”.

Jesus ama a todos os pecadores, mas repudia suas práticas errôneas.

Quando entregamos nossas vidas a Cristo, Ele nos perdoa e nos mostra um novo caminho. As velhas coisas ficam para trás. Tudo se faz novo. Ninguém pode servir a dois senhores. De uma mesma fonte não pode sair água boa e má. Sabemos que o nosso corpo é o templo do Espírito Santo. Quando afetamos nosso corpo, ofendemos o Espírito Santo.

Alguns líderes 'evangélicos' MENTIROSOS, os quais usam a Bíblia para a própria condenação deles, afirmam que Deus ama o homossexual como ele é. ISTO É MENTIRA. Cristo aceita o pecador, quando este vem como está, mas ao tornar-se Senhor dessa nova criatura, Ele jamais aceita práticas que o ofendem - o HOMOSSEXUALISMO ofende a Deus.

A Bíblia diz que os sodomitas não herdarão o reino de Deus (1 Coríntios 6.9). Mas ainda há uma esperança para os homossexuais que querem ter uma vida eterna e de santidade diante de Deus. Basta deixar o fardo pesado de pecado e receba sobre si, o fardo de Jesus que é leve e suave.

Amemos o homossexuais e mostremos que há esperança para eles - Cristo Jesus.


Leia matéria abaixo, extraída do site UOL:


Nem tão extremos

Gays evangélicos revelam que vão à Marcha para Jesus e à Parada de SP sem problema algum


No dia 22 de maio, às vésperas da 12ª Parada do Orgulho GLBT de São Paulo (a maior do mundo, realizada no dia 25), a Avenida Paulista recebe um grande evento evangélico, a Marcha Para Jesus, organizada pela Igreja Renascer em Cristo. Como serão realizadas em dias diferentes, as duas iniciativas reúnem sim uma mesma parcela de público: gays evangélicos. Os objetivos são completamente diferentes. No dia 22, é hora de comungar com Cristo no feriado dedicado ao Seu corpo santo, já no dia 25, a intenção é gritar com todo fôlego para conquistar direitos e mais respeito.

O que pode parecer contra senso para alguns, é completamente normal para outros. Seguindo o pensamento de que Jesus é amor e acolhe a todos sem julgá-los por sua orientação sexual, esse grupo confia na força de sua fé e não dá ouvidos à falácia de que homem que ama outro homem ou mulher que ama outra mulher, vai pro inferno. “Se duvidar, quem vai pro inferno são essas pessoas que falam isso”, dispara Sidnei Brito, que estará presente nos dois eventos e ainda promete participar também da 8ª Feira Cultural GLBT, realizada na Praça da República no mesmo dia da Marcha. Ele vai ao evento religioso desde 1996, quando ainda freqüentava a Igreja Renascer em Cristo.

Depois disso, ele já passou pela Igreja Pentecostal da Bíblia, onde foi convidado pelo pastor a se retirar da comunidade depois de ter expresso sua orientação sexual e dizer que estava se separando de sua esposa. Hoje ele faz parte da Comunidade Cristã Nova Esperança, conhecida por ser uma igreja inclusiva que não distingue seus fiéis por cor, raça ou orientação sexual. Para Sidnei, “a Marcha é uma boa oportunidade para os gays cristãos demonstrarem sua fé”. Ele conta ainda que, durante o evento evangélico no ano passado, o reduzido número de trios elétricos estava desanimando as pessoas. O grupo de cerca de 15 pessoas que estavam com ele, todos homossexuais, começou então a cantar canções e foi seguido por todos os outros fiéis, garantindo animação à passeata.

Na Parada deste ano, ele estará presente com um grupo da Nova Esperança “em quantidade muito maior” que ora a Deus antes de cair na multidão. “Pedimos para que Ele nos proteja e nos dê uma Parada sem violência como furtos e brigas, sem esse lado ruim”, conta, completando que o evento é uma boa oportunidade para divulgar a igreja e agregar novos fiéis à procura de um caminho religioso. Também egresso da Renascer em Cristo, Marcelo Muraoka já participou de outras edições da iniciativa e se apóia no nome dela para se defender caso alguém queira questionar sua participação. “A Marcha não é para a igreja, é para Jesus, e eu tenho certeza que ele me ama como sou.” O objetivo dele é cumprir seu ritual de comunhão com Deus na passeata e, logo depois, conferir o movimento da Feira na Praça da República. No dia 25, sua ida à Avenida Paulista mudará de foco, mas não será sem fé.

“O amor do Senhor inclui a todos. Quem somos nós para condenar alguém?”, questiona José Marcos, que também vai às duas caminhadas. Ex-católico, ele participa da Marcha já há cinco anos e não vê problema algum em ser gay e evangélico ao mesmo tempo. De mesmo nome do marido de Maria, seu objetivo na realização religiosa é louvar e glorificar o nome do Senhor, e não afrontar nenhum evangélico mais fervoroso que possa tecer comentários maldosos a respeito de sua orientação sexual. “Não podemos repudiar ninguém.” Para José, o problema está nos extremos - ou se tem muitos valores, ou se tem muita libertinagem – e é preciso um equilíbrio nessa questão para todos possam viver em paz, juntos.

Fonte: UOL

sábado, 10 de maio de 2008

HOMOSSEXUALISMO: Deputado acusa gays de tentativa de mordaça a evangélicos

PARAÍBA - O deputado Nivaldo Manoel (PPS) fez na última quinta um veemente apelo ao Senado Federal para que não aprove o projeto de lei de número 122/2006 que torna crime a prática de homofobia - preconceito contra homossexuais no país. A assembléia fará uma sessão especial, no próximo dia 18, para debater o assunto.

“Caso o Senado Federal ratifique a aprovação do projeto 122/2006, já aprovado na câmara, ele vai se tornar polêmico porque vai permitir que os homossexuais amordacem todos aqueles que são contra a prática do homossexualismo”, disse Nivaldo Manoel.

“Não somos radicais, nem queremos proibir que os homossexuais façam seus programas, pois não podemos mandar na vida de ninguém. Mas, não podemos aceitar que eles possam trazer danos à sociedade com esse projeto”, adiantou Manoel.

Segundo Nivaldo Manoel, se o projeto for aprovado vai trazer problema à sociedade, principalmente para as igrejas. “Principalmente porque dará direito a um homossexual escolher onde quer se casar. Um homossexual se quiser casar, poderá escolher uma igreja evangélica e o pastor não vai poder proibir, porque estará previsto em lei”, queixou-se Manoel, que é evangélico militante da Igreja Assembléia de Deus.

O deputado foi enfático ao afirmar que não há homossexuais entre os evangélicos. “Se existem gays eu não sei. Só que quando é descoberto um evangélico gay, a igreja automaticamente o expulsa do rol de membros”, afirmou.

Nivaldo Manoel contestou a interpretação que dada ao Livro de Samuel ( Antigo Testamento), que trata das relações entre o Rei Davi e Jônatas, em que sugere uma relação homossexual.

“Essa interpretação é enganosa porque o rei Davi não era homossexual. Ele era uma pessoa muito amiga de Jônatas, a quem amava como amigo. Quem interpreta a Bíblia assim, está radicalizando”, destacou Nivaldo. “Ele amava Jônatas de coração, era um amor puro” destacou Nivaldo Manoel.

O parlamentar evangélico disse que vai lutar para impedir a aprovação dessa lei no Senado. 'Para tanto,estamos convidando os senadores José Maranhão, Cícero Lucena e Efraim Morais para a seessão especial do 18 nesta casa", finalizou Nivaldo.

Fonte: Paraíba.com.br

sexta-feira, 9 de maio de 2008

Derrota esmagadora para os militantes pró-aborto no Brasil

Comissão legislativa derrota, em votação unânime, a descriminalização do aborto

Matthew Cullinan Hoffman

BRASÍLIA, 8 de maio de 2008 (LifeSiteNews.com) — Numa vitória impressionante para o movimento pró-vida na América Latina, a Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados do Brasil rejeitou unanimemente uma lei que descriminalizaria o aborto. Os militantes pró-aborto vinham lutando em prol dessa lei desde 1991.

Os dois deputados pró-aborto da comissão se retiraram em protesto sem votar, deixando os deputados restantes rejeitarem a legislação por 33 a 0.

Os membros da comissão se abraçaram em lágrimas enquanto os militantes pró-aborto na audiência gritavam palavras pesadas contra eles e contra a Igreja Católica, que este ano iniciou uma campanha intensa para proteger o direito à vida.

A campanha, junto com importantes iniciativas dos evangélicos, resultou num aumento dramático no sentimento pró-vida no Brasil. Uma recente pesquisa de opinião pública revelou que 68% dos brasileiros agora se opõem à liberalização do aborto. No ano passado, eram 63%.

A legislação, que é conhecida como PL 1135/91, será em seguida considerada pela Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados, onde a expectativa é de que será rejeitada. O texto elimina penalidades criminais para o aborto. Outros projetos de lei que descriminalizam o aborto também estão em andamento no Congresso Nacional.

O voto representou uma derrota esmagadora para os militantes pró-aborto no Brasil, e em particular para o Ministro da Saúde de Lula, José Gomes Temporão. Temporão vem buscando desviar a atenção da questão dos direitos humanos do feto ao redirecionar o debate como questão de “saúde pública” devido aos perigos que ele alega estão associados aos abortos ilegais.

Aparentemente sentindo sua derrota inevitável, Temporão não testificou diante da comissão e em vez disso enviou representantes. Ele usou linguagem diplomática para denunciar a decisão, afirmando que a atual abordagem legal para com o aborto não foi realista e resultaria em “fracasso”.

Traduzido e adaptado por Julio Severo: www.juliosevero.com (Fonte: LifeSiteNews)


Fonte: www.juliosevero.com.br

quinta-feira, 8 de maio de 2008

CRUZADA BILLY GRAHAM 2008: "MINHA ESPERANÇA BRASIL" JÁ CONTA COM A MOBILIZAÇÃO DE 18.000 IGREJAS



Minha Esperança já conta com a mobilização de 18000 igrejas

Os números continuam crescendo. Durante um giro pelo Departamento que cuida do nosso Banco de Dados, no escritório nacional do projeto Minha Esperança, em São Paulo, encontramos três digitadores trabalhando constantemente para alimentar a nossa base de informações com os dados das igrejas que já estão participando do Projeto. Os últimos números nos mostram 18000 igrejas e congregações das mais diversas denominações e localizadas em várias regiões do Brasil desde já envolvidas com o Minha Esperança.

Nesta etapa, milhares de pastores já participaram, enquanto outros estarão ainda participando, de uma reunião de visão com diferentes coordenadores do Minha Esperança. Após obterem informações sobre o Projeto e, através do preenchimento de formulários próprios, se comprometeram em desafiar os membros de suas igrejas a convidarem os seus amigos não-salvos para assistir os três programas que serão transmitidos em novembro.

“Através das diferentes etapas do Projeto Minha Esperança, estamos constantemente recebendo e analisando números de igrejas e participantes”, explica Hans Mannegren, Diretor Mundial do projeto. “Esses números nos deixam muito felizes, porque sabemos que, quanto mais igrejas participarem, mais cristãos estarão convidando amigos a aceitarem a Cristo em seus lares.”

Este é, afinal, o objetivo da Associação Evangelística Billy Graham, bem como das igrejas brasileiras envolvidas no Projeto: alcançar os perdidos com o evangelho da salvação em Jesus Cristo. Para alcançarmos esse objetivo, existem preparativos vitais que cada pastor deve estar iniciando neste momento.

“Minha Esperança Brasil opera sob o principio do efeito, onde o treinamento efetivo gera evangelismo efetivo”, explica Geremias Couto, Coordenador Nacional do projeto Minha Esperança.

Couto diz que este principio se traduz em preparação e treinamento de milhares de líderes para que o Projeto tenha êxito, resultando na salvação de milhares de almas, e não apenas na transmissão nacional dos programas previstos. Temos mais de 1000 coordenadores e capacitadores trabalhando em todo o Brasil, promovendo encontros para explicar a visão do Minha Esperança. É quando eles explicam aos pastores o que é o Projeto e como fazer parte.

Posteriormente, haverá mais um encontro, agora para o fornecimento de materiais de apoio e o treinamento necessário sobre como cada pastor pode levar o Minha Esperança para a sua igreja.
Couto menciona ainda que cada pastor só deverá comparecer a esses dois encontros, previamente marcados através dos coordenadores de cada região. E acrescenta: “É bastante simples para que cada igreja participe”. Este planejamento ajuda ao Projeto a alcançar suas metas, para dar a cada igreja no Brasil a oportunidade de usar a transmissão dos programas de televisão de Minha Esperança como uma ferramenta poderosa de evangelização.

Se você gostaria de saber mais sobre os encontros em sua cidade, Estado ou região, bem como qualquer outra informação acerca do Minha Esperança, acesse o nosso site: http://www.minhaesperanca.com.br/. Vá ao link “como participar”, localize o coordenador para a sua igreja ou denominação e descubra onde está acontecendo a reunião de visão mais próxima para que você participe.

Fonte: http://www.minhaesperanca.com.br/

Magno Malta questiona Funai sobre exclusão de evangélicos de reservas indígenas


[Foto: senador Magno Malta (PR-ES)]

O senador Magno Malta (PR-ES) criticou, em pronunciamento nesta quarta-feira (7), decisão da Fundação Nacional do Índio, tomada em janeiro, de retirar as igrejas evangélicas das reservas indígenas. Para o senador, essa decisão da Funai pode acabar redundando na generalização de uma política anti-evangélica, excluindo demais igrejas de reservas indígenas de todo o país.

- As igrejas evangélicas trabalham, sobretudo, com a recuperação de índios vítimas da sua própria socialização, principalmente alcoólatras e depressivos que, sem a orientação dos pastores, acabam optando pelo suicídio - afirmou o senador, ressaltando ser voz comum entre as comunidades assistidas pelas igrejas "que só tem sossego o índio que é evangélico".

Para o senador, a Funai teria optado por manter uma política de afastamento de entidades sociais nas reservas, incluindo igrejas, por vontade dos próprios índios, temendo a perda de sua identidade cultural com o estímulo a uma tradição que não faz parte dos costumes da aldeia.

- Nesse caso, amanhã a Polícia Federal também não entrará nas reservas que isolam o país, mas o narcotráfico com certeza entrará - alertou o parlamentar, lembrando que as igrejas evangélicas são missionárias e que o estado brasileiro é laico, ou seja, separado da igreja, sendo livre a escolha religiosa.

CPI da Pedofilia

Na condição de presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito da Pedofilia, Magno Malta anunciou que na terça-feira (13) a CPI vai abrir o sigilo do Orkut de alvos (suspeitos) da comissão, fornecidos pelo Google.

- Vamos promover ainda a quebra do sigilo telefônico destes usuários - acrescentou, lembrando que existem 19 mil denúncias contra supostos pedófilos.

Domingos Mourão Neto / Agência Senado
(Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Fonte:
Agência Senado

Vídeo no Youtube mostra 'oração' em tom de zombaria, com a imitação da voz do Pato Donald

por Paulo Teixeira


Com o objetivo de escarnecer do povo de Deus e também zombar do Senhor, alguém colocou no Youtube um VÍDEO, onde foi gravado uma pessoa 'orando' com a voz idêntica a do pato Donald.


Certamente fez-se de forma leviana esta oração e depois, com efeitos especiais, mudou a voz para que se parecesse com a do pato Donald.


É provável que quem fez o tal vídeo já tenha sido evangélico, pois a forma de 'orar' é idêntica a determinadas orações feitas, principalmente no meio pentecostal.


O mais triste de tudo isto, é saber que alguns adolescentes e jovens evangélicos estão baixando da internet esta 'oração' e colocando-a no celular.


Que o autor deste vídeo arrependa-se diante do Senhor.

quarta-feira, 7 de maio de 2008

Um pérfido plano diabólico contra a família

Será que estamos diante de acontecimentos inéditos na história da humanidade? No fim dos tempos? Ou diante de um gancho que a mídia pegou para faturar?



(Fonte: www.juliosevero.com) - Os noticiários divulgam exaustivamente:

'Menina de cinco anos é jogada do sexto andar; pai e madrasta são suspeitos'

'Mulher é acusada de torturar filhas adotivas'

'Homem de 73 anos é acusado de estuprar e manter em cárcere privado filha durante 24 anos'

'Mãe abandona filho na lata do lixo'

(...)


Será que estamos diante de acontecimentos inéditos na história da humanidade? No fim dos tempos? Ou diante de um gancho que a mídia pegou para faturar?

Prefiro acreditar que seja a soma de todos esses fatores (exceto o primeiro: pais que espancam, maltratam e matam filhos, e o contrário, também), e mais alguns outros, entre eles a tentativa diabólica de utilizar a mídia para influenciar negativamente o comportamento das pessoas das seguintes maneiras:

a) Fazê-las desacreditar na eficiência da instituição familiar, isto é, levá-las inconscientemente ao desrespeito e intolerância para com seus genitores ou aqueles que cuidaram das tais como se fossem filhas legítimas;
b) Sensibilizá-las à causa homossexual, ou seja, levá-las ao engodo de que a instituição familiar monogâmica e heterossexual esteja falida e persuadi-las a acreditar que realmente dois homens ou duas mulheres que posam de pai/mãe são sempre as melhores opções de vida que uma criança pode ter, e que esta não terá prejuízos de forma alguma;
c) Fazê-las desacreditar que o modelo familiar que a maioria das pessoas conhece, além de falido, é errôneo. Um bom exemplo disso é a campanha promovida pelo presidente Lula em conluio com a apresentadora Xuxa Meneghel, que pretende tirar dos pais a autoridade que eles devem ter sobre os filhos;
d) E por fim, levá-la a comportamentos degradantes (uso de drogas e anti-depressivos, tendência ao suicídio, aborto, vida sexual desregrada etc) que culminarão na destruição moral, física e espiritual das pessoas.

O apóstolo Paulo, há cerca de dois mil anos atrás, predisse o seguinte:

"Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos. Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus, tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia desta. Destes afasta-te (2 Timóteo 3:1-5)"

Quer explicação mais nítida do que esta para esses acontecimentos? Por mais que os ímpios, céticos e incrédulos questionem a veracidade e historicidade da Bíblia, eles não podem negar a sua importância para o mundo atual e a responsabilidade que ela traz aos homens sobre o cuidado que devemos ter uns para com os outros, dentre tantos mandamentos sobre o amor fraternal.

É claro que todas essas monstruosidades são obras humanas, frutos da malignidade que há no coração das pessoas, mas vejo por detrás disso uma tentativa de se implantar um caos completo e desvirtuar valores morais perenes. É chegado o tempo em que o mal vira bem, e o bem vira mal , a luz trevas, e as trevas luz, o doce amargo, e o amargo doce (Isaías 5:20).

A Bíblia é enfática quando manda que os filhos honrem os pais (Efésios 6:1-4). Deus instituiu e acredita na eficácia da família; para o homem e a mulher, instituiu o matrimônio, a criação da família, o cuidado para com os filhos. Somente através da união conjugal de homens e mulheres, é que a humanidade pode avançar e se desenvolver, mesmo com todos percalços que há no mundo.

Há pais que maltratam os filhos? Sem sombra de dúvida, mas eles são exceções à regra.


Há pais e mães negligentes com seus filhos? Claro, no entanto, há muitos outros pais e mães que amam e cuidam de seus filhos exemplarmente, e melhor: há um Pai que nunca se esquece de seus filhos, Deus (Isaías 49:15).

Há pais e mães solteiros que cuidam exemplarmente de seus filhos? Há gays e lésbicas que também o fazem? É claro que há, mas também há muitos deles que dão toda sorte de maus exemplos, mas que a mídia não mostra por lhe ser conveniente guerrear contra o bem.

Há filhos bons e obedientes aos pais até na idade adulta? Sim, claro, mas também há diversos filhos que são rebeldes, impenitentes, desobedientes e entregues à própria sorte, que são fruto de falhas na educação recebida ou predominância da maldade no coração destes mesmo que tenham recebido todo amor, carinho e bons exemplos dos pais (Provérbios 19:18; 20:11; 22:6, v. 15; 23:15 e 29:15). E garanto que o número de filhos criminosos e que trazem desgosto e amargura aos pais, que matam os pais tanto física como emocionalmente, é muito maior do que os pais que fazem tais barbáries com os filhos.

Há muita gente corrupta que ensina erradamente que o castigo físico que os pais impõem aos filhos é errado e faz-lhes mal. Ledo engano, a começar pela terminologia: o nome correto que se dá é disciplina. Pai que é pai corrige seu filho, e não apenas 'dialoga' (o mundo sempre esteve cheio de crianças de dois a três anos de idade que são mestras em Ciências Sociais, não é mesmo?). Crianças mimadas em excesso pelos pais e entregues à própria sorte têm o privilégio de serem os adultos que mais devem ser evitados.

A disciplina é a forma não-verbal de os pais colocarem limites nos filhos, de impor-lhes o respeito que eles lhe devem, é uma forma carinhosa e amorosa de salvar o filho da destruição na vida adulta. Se os pais não corrigirem os filhos enquanto há tempo, a própria vida se encarrega de passar neles um corretivo, e de forma muito mais dolorosa do que uma palmada no bumbum. Eu e tantas outras pessoas nesse mundo fomos corrigidas fisicamente, e nem por isso nos tornamos criminosos. Só na idade adulta é que viemos a compreender a sua eficácia e propósito. É muito mais fácil um criminoso ter sido alguém rebelde à família, criado sem limites e mimado o tempo todo do que ter sido alguém que apanhou dos pais.

Há muitos especialistas que são contra o uso da disciplina, alegando que ela contribuirá para que o filho se torne uma pessoa violenta. Tudo bem. Há pais que merecem ser execrados pelo que fazem aos filhos, mas nem todas as pessoas violentas são filhos que apanharam muito dos pais.

A estratégia desses pseudoeducadores é de deixar a criança entregue à própria vontade; é inverter os papéis. Eles querem que os filhos mandem nos pais e que atendam todas as suas regalias. São guias cegos.

Você duvida disso?

Fonte: http://comunicobloglogos.blogspot.com/2008/04/um-prfido-plano-diablico-contra-famlia.html

Divulgação: www.juliosevero.com

Fonte: O Verbo

sexta-feira, 2 de maio de 2008

Delegação do CMI visita Síria para conhecer melhor o islamismo

"O islã não pode ser estudado como estudamos gramática", disse o patriarca Ignacio IV, da Igreja Ortodoxa Grega na Síria, à delegação encabeçada pelo secretário-geral do Conselho Mundial de Igrejas (CMI), Samuel Kobia.

A delegação visitou a Síria, o Líbano e os Emirados Árabes Unidos, de 19 a 22 de abril, com o propósito de aprender a respeito da longa experiência do país na convivência pacífica entre cristãos e muçulmanos. "Devemos entrar em contato com as pessoas da rua e compartilhar com elas. Os muçulmanos que vivem em seus países compartilham com vocês. Por que os ignoram?", perguntou o patriarca, em particular aos membros da delegação procedentes da Europa e dos Estados Unidos da América.

A difícil situação dos refugiados iraquianos e a observação de que muitos cristãos abandonam o Oriente Médio para migrar a países ocidentais também foram debatidos durante a visita. Com 1,5 milhão de refugiados do Iraque na Síria, esta nação de 20 milhões de habitantes fez mais do que nenhum outro Estado para abrigar aqueles que fugiram da violência que arrasava o vizinho do Leste. Historicamente, a Síria abriu suas fronteiras aos refugiados: ofereceu refúgio a meio milhão de palestinos e acolheu outros 200 mil libaneses durante a guerra de 2006.

Os refugiados que se encontraram em Damasco com os representantes das igrejas membros do CMI no Oriente Médio, dos Estados Unidos, do Paquistão, da Alemanha, da Austrália e da Suécia agradeceram à Síria e às igrejas do país por sua hospitalidade, embora tenham mencionado que a comunidade internacional lhes voltou às costas. "Claro que quero voltar ao meu país", disse uma jovem de Basora. "Mas vocês podem garantir que não me matarão? Meus familiares voltaram e foram assassinados na primeira noite", relatou.

"Não queremos que o Iraque fique sem cristãos, mas se estão em perigo ali, como podemos dizer para que fiquem?", perguntou o patriarca da Igreja Ortodoxa Síria, Mor Ignatius Zakka I, nascido no Iraque.

O diretor de relações ecumênicas do Patriarcado Ortodoxo Grego, Samer Laham, explicou que os refugiados não podem voltar, porque seriam assassinados, mas também não podem ficar, porque é muito difícil encontrar um trabalho aqui. Eles estão ficando sem dinheiro por causa do aumento do custo de vida.

As instituições muçulmanas e as igrejas da Síria atendem aos refugiados pessoalmente. "Nós dissemos aos cristãos iraquianos (que queriam pedir asilo em países ocidentais): Por favor, não vão! Aqui fazeis parte de nossa família, ali não sereis mais do que números", disse o Grande Muftí da República da Síria, Ahmad Badr Al-Din Hassoun, à delegação do CMI.

"A paz na Terra Santa é a chave para a maioria dos problemas da região", afirmou o patriarca melquita católico grego, Gregorio III. "Cada crise provoca uma nova onda de migração, especialmente de cristãos, mas também de muçulmanos. Se querem manter a presença cristã no Oriente Médio, façam todo o possível para atingir a paz na Palestina/Israel", instou Sua Beatitude Gregorio III, aos visitantes ecumênicos.

Durante a visita à Sheikh Ahmad Kuftaro Foundation, um centro islâmico dedicado à educação e aos estudos inter-religiosos, Kobia apresentou a Síria como "um bom modelo de como os crentes de diferentes religiões podem conviver enquanto povo criado por um único Deus". As meninas da escola e do orfanato da fundação deram as boas-vindas à delegação ecumênica com canções de louvor ao "profeta Issa" (Jesus), aquele "que chama à paz e ao amor".

A Síria foi o último dos três países de Oriente Médio visitados pela delegação do CMI. A viagem começou no dia 14 de abril com uma reunião pública de informação e debate sobre a migração em Beirute e incluiu uma curta estadia nos Emirados Árabes Unidos.

Embora a delegação tenha escutado as histórias aterradoras dos refugiados iraquianos, ela voltou para casa com uma mensagem de esperança. "Acredito nos atos de amor", disse o patriarca Ignacio IV. "Pode ser que acolher as pessoas com amor não solucione todos os problemas imediatamente, mas a próxima geração recolherá os frutos desse amor", agregou.

Fonte: ALC

Estudo: maior renda aumenta chances de aborto

O relatório Aborto e Saúde Pública aponta que quanto maior a renda e a escolaridade, maiores as chances de a primeira gravidez resultar em aborto entre mulheres de 18 a 24 anos. O estudo reuniu resultados de mais de duas mil pesquisas sobre o tema realizadas no Brasil nos últimos 20 anos.

Segundo a antropóloga Débora Diniz, uma das coordenadoras do relatório, dados obtidos a partir da pesquisa Gravidez na Adolescência, feita em Porto Alegre, Salvador e Rio de Janeiro com financiamento da Fundação Ford, em 2003, mostram que a opção pelo aborto não tem relação direta com a pobreza.

"Não há correlação imediata de que a pobreza é o que leva à decisão pelo aborto. São decisões sobre planejamento reprodutivo, concepções de família, concepções de vida, de inserção no mundo do trabalho, que levam as mulheres a essa tomada de decisão", avaliou.

Para Diniz, a pesquisa que abordou fatores associados ao aborto como desfecho da primeira gestação é uma das mais importantes do cenário brasileiro sobre o tema, tanto pelos resultados apresentados quanto pela metodologia utilizada que contemplou consultas domiciliares.

Segundo ela, embora o foco geral do estudo tenha sido a adolescência, os resultados se aplicam às mulheres de uma maneira geral, já que incluem a faixa etária até 24 anos.

Fonte: Terra

Jogador evangélico Kaká é um o brasileiro mais influente, segundo a Revista americana TIME

Kaká faz parte da lista das 100 personalidades mais influentes, segundo a Times

Eleito o melhor jogador do mundo no ano passado, Kaká é considerado pela revista americana "Time" o brasileiro mais influente atualmente. O craque do Milan figura em uma lista das 100 principais personalidades do planeta.

O único brasileiro que aparece na lista é o meia do Milan e da seleção brasileira de futebol, o evangélico Kaká. Ele é o 12º no ranking de ‘heróis e pioneiros e o 29º no geral. O jogador é descrito "um atacante com tremenda habilidade técnica".

A "Time" escolheu o goleiro americano Kasey Keller, do Fulham, para escrever sobre o craque brasileiro. No texto, o goleiro lembra que enfrentou Kaká em 2003, pela Copa Ouro, e "era óbvio que Kaká tinha algo especial".

"Um cristão evangélico, Kaká diz publicamente que espera virar pastor quando encerrar a carreira de jogador. Após ter vencido a Liga dos Campeões no ano passado, exibiu uma camisa com os dizeres 'Pertenço a Jesus'", diz Keller.

Neste quesito, os primeiros são o casal Brad Pitt e Angelina Jolie, seguidos pela apresentadora americana Oprah Winfrey.

Ranking popular

No voto popular, o primeiro colocado é o japonês Shigeru Myiamoto, de 55 anos, um dos diretores da Nintendo e considerado pela revista ‘Time’ como o ‘pai do videogame moderno. Entre outros, ele criou os jogos ‘Super Mario’ e ‘The Legend of Zelda’.

Myiamoto obteve 1.976.672 votos e foi seguido de perto pelo cantor sul-coreano Rain, com 1.556.170.

Já o presidente George W. Bush aparece na 158ª posição com 33.821 votos.

Fonte: G1/Globo Esporte e O Verbo