quinta-feira, 17 de abril de 2008

Evangélicos pedem mudanças no projeto da « Lei da Mordaça Gay »

Membros da Frente Parlamentar Evangélica e líderes evangélicos nacionais pediram ao presidente do Senado, Garibaldi Alves Filho, mudanças no projeto de lei da Câmara (PLC 122/06) que tipifica o crime de discriminação e preconceito contra os homossexuais. Na avaliação dos evangélicos, o projeto não deve ser aprovado na versão atual, pois fomentaria o preconceito.

-Nós, da comunidade evangélica, queremos ter a oportunidade de debater esse projeto amplamente, de forma transparente, para que cheguemos, junto com os homossexuais, a uma conclusão para barrar no Brasil todo e qualquer tipo de discriminação - disse o pastor Ronaldo Fonseca, da Assembléia de Deus.
Segundo explicou, o projeto impede a livre expressão do pensamento, na medida em que define como crime a manifestação pública de opiniões contrárias ao homossexualismo.
- A igreja, por exemplo, é um local público. Um pastor não poderá dizer que o homossexualismo é pecado utilizando a Bíblia. É um projeto bem intencionado, mas, se passar, vai acabar discriminando um outro segmento da sociedade - advertiu o pastor, sustentando que os evangélicos não pregam a homofobia.
- Nós pregamos o exemplo de Cristo, que é amor, respeito ao próximo. O que condenamos é a prática do pecado. Ensinamos que o homossexual deve ser respeitado e amado pela sociedade. Pleiteamos que o projeto conserve o que diz respeito à discriminação e ao combate à violência contra os homossexuais - esclareceu.
Desde 2006, quando o projeto começou a tramitar no Senado, as mudanças pleiteadas pela comunidade evangélica têm sido defendidas pelo senador Marcelo Crivella (PRB-RJ), que considera a proposição inconstitucional.
A matéria é relatada na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) pela senadora Fátima Cleide (PT-RO), que também foi relatora da matéria na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH).

Fonte: Agência Senado

2 Comentários:

Às 19 de abril de 2008 21:27 , Blogger car79c disse...

Este comentário foi removido pelo autor.

 
Às 19 de abril de 2008 21:35 , Blogger carlos disse...

Deve ser boa a intenção dos pastores e parlamentares evangélicos de tentar "melhorar" o PLC 122/2006, mas tal ação me parece um engano e uma grande perda de tempo.

A lei da mordaça gay não pretende intimidar e punir apenas religiosos em seus templos, mas também qualquer pessoa, em qualquer lugar, que ousar dizer ou fazer algo que desagrade aos homossexuais. Para a militância gay, qualquer discordância às suas vontades é vista como "preconceito", "discriminação", e, portanto, será crime, com pena de detenção.

Esse PL não tem conserto. Ele foi inventado para estabelecer censura e punição para quem discorde do homossexualismo, aprovado quase que em segredo na Câmara, de forma traiçoeira, e é repleto de absurdos e más intenções. Tem de ser totalmente rejeitado.

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial